Anterior

Inscrições para o ProUni estão abertas

19/01/2016

Anterior

Próxima

Unicef defende mobilização para combate ao Aedes aegypti

19/01/2016

Próxima
19/01/2016 - 10:35
Aplicativo Whatsapp deixa de cobrar assinatura anual
Por: Jean Felix

Foto: Jean Souza / Sertão na Hora

O WhatsApp, aplicativo de mensagens instantâneas mais popular do mundo, anunciou que vai abandonar a cobrança de uma assinatura anual no valor de US$ 1 após o primeiro ano de uso. A mudança começa a valer nas próximas semanas. Em seu blog oficial, a empresa afirmou que o modelo de assinatura do serviço “não funcionou bem” conforme o número de usuários do serviço aumentou. Atualmente, o aplicativo possui quase 1 bilhão de usuários ativos por mês em todo o mundo, sendo 100 milhões deles no Brasil. “Muitos usuários não têm um cartão de débito ou crédito e ficam preocupados em perder a conexão com seus amigos e família após o primeiro ano”, informou a empresa.

 
Para José Calazans, consultor de mídia da Nielsen, o WhatsApp enfrentou o problema de ser uma empresa global ao cobrar a assinatura. “Em cada país que o WhatsApp está presente, há um sistema bancário diferente, o que dificultava a cobrança da assinatura”, afirma. “Além disso, nunca vi nenhum dado ou relatório que comprovasse que essa cobrança era feita de fato”, diz Calazans.
 
A mudança no modelo de negócios do WhatsApp acontece quase dois anos após o anúncio de que a empresa seria adquirida pelo Facebook e sete anos após sua fundação. A rede social mais popular do mundo anunciou a compra do serviço por US$ 19 milhões em fevereiro de 2014, mas a venda só foi oficializada em outubro do mesmo ano, por US$ 21,8 bilhões, após autorização dos órgãos reguladores. A diferença no valor foi explicada pela valorização das ações do Facebook no período.
 
Propaganda
Ao contrário do que se esperava, a empresa não vai apostar no modelo adotado pelo Facebook e Instagram, baseado em publicidade personalizada. “As pessoas podem estar pensando se o anúncio de hoje significa que vamos introduzir anúncios de terceiros. A resposta é não”, afirmou a empresa, em seu blog oficial.
 
Fonte: CNM





Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.