Anterior

Prefeitos alagoanos recebem agentes de saúde

10/07/2018

Anterior

Próxima

Decreto direciona recursos para conclusão de ações do PAC em Roraima, Alagoas e São Paulo

10/07/2018

Próxima
10/07/2018 - 11:09
Sítios arqueológicos em Pão de Açúcar serão destinos para aulas de campo
Por: Ascom
 Foto: Ascom 

Um ambiente que viria a ser área de extração de minérios em Pão de Açúcar acabou sendo tombado, em 2012, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) por guardar um importante registro de povos pré-históricos da região. Trata-se do Sítio Arqueológico da Pedra do Sapo, localizado no Sítio Bom Nome, há cerca de 60 minutos da Zona Urbana, esse é apenas um dos 11 sítios existentes em Pão de Açúcar. 

Nesta semana, equipes da coordenação da Educação no Campo, da Secretaria Municipal de Educação (SEMED), e a diretoria de Meio Ambiente, da Secretaria Municipal de Agricultura, Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAGRI), realizaram uma visita técnica visando o local como uma fonte de riquíssimas informações a serem trabalhadas em sala de aula.

Segundo a coordenadora da Educação Ambiental, Jordana Tenório, o local deve ser utilizado como um recurso educacional pelos professores da Rede de Educação. “Os professores devem ser incentivados a usar esse lugar como uma fonte riquíssima de informações sobre os povos que habitaram nesse lugar, pois está tudo registrado nas pinturas rupestres. Sem falar do bioma a ser apreciado, estudado e conservado” disse.

Ainda de acordo com a coordenadora, o sítio arqueológico, embora repleto de valor simbólico e cultural e seja tombado pelo IPHAN, não recebia a atenção necessária. Durante a visita, foram encontrados focos da ação predatória do homem, como lixo e desmatamento. A coordenadora da Educação no Campo aponta que o local também tem potencial para ser mais um atrativo turístico de Pão de Açúcar.

“Nos próximos dias reuniremos os professores da rede municipal, primeiramente os das áreas de Geografia, História e Ciências. Depois a intenção é articular em conjunto com o IPHAN para impedir a degradação. Futuramente o local tem tudo para ser aberto a visitações, porém necessitamos de fiscalização e dos seus devidos cuidados, isso já está sendo tratado pela equipe de governo do prefeito Flavinho Almeida que tem dado total apoio e dedicação com as atividades educacionais e turísticas do nosso município”, disse.

Também participaram da visita os coordenadores da Educação no Campo, Pedro dos Anjos e Oscar Santos, e Neto Gusttavo, diretor de Meio Ambiente da Semagri.






Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.