Anterior

Prefeitura entrega duas ambulâncias para a saúde pública de Olivença

22/11/2018

Anterior

Próxima

Prefeitura de Santana do Ipanema apresenta proposta da Lei Orçamentária Anual para 2019

22/11/2018

Próxima
22/11/2018 - 15:31
Projeto de Escola de Olho d'Água das Flores é selecionada como finalista da MECTI

Escola Estadual Ângelo Abreu levou um enxaguante bucal à base de plantas medicinais para a edição 2018 do Encontro Estudantil da Rede Pública Estadual, que aconteceu no Cepa, em Maceió.
Por: Texto de Manuella Nobre
 Foto: Valdir Rocha 

Na quarta-feira (21), terceiro dia de atividades da edição 2018 do Encontro Estudantil da Rede Pública Estadual, estudantes e professores dos quatro cantos de Alagoas superaram expectativas e mostraram excelência nos trabalhos expostos na Mostra Estadual de Ciências, Tecnologia e Inovação (MECTI), no ginásio da Escola Estadual Vitorino da Rocha, no Cepa.

Dos 65 trabalhos expostos na Mostra, 47 concorreram, passando por 30 avaliadores, da Universidade Federal de Alagoas (UFAL), Instituto Federal de Alagoas (IFAL), Secretarias Municipais de Saúde e Educação de Maceió (SMS e SEMED) e do Lacen (Laboratório Central de Alagoas). Os trabalhos se destacara, dentre outros aspectos pela importância da consciência ambiental, (re)aproveitamento da natureza em sua própria defesa, inclusão social, economia e muito mais.

Dos dois trabalhos do Ensino Fundamental, um deles foi do Centro Estadual Cyro Accioly, especializado no atendimento de estudantes cegos, com a apresentação de estratégias de ensino da matemática para deficientes visuais pelos estudantes Micael, Erica, Elizama e Rayssa. “Espaços como esse são importantes para mostrar as habilidades desses alunos e, mais ainda, que nossos jovens são ativos, proativos e produtivos”, ressalta o orientador, professor Urandy Carlos Marinho, informando que parte da turma já participou também da MatExpo (Exposição Estadual da Matemática), na Ufal, conquistando o 4º lugar.

Consciência ambiental

Os trabalhos expostos foram divididos em três eixos: Ciências, Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e suas Tecnologias; Formação Técnica e Profissionalizante; o segundo eixo, das Engenharias; e o terceiro, Economia Criativa, com dois subeixos: Negócios Digitais e Criações Funcionais.

A Escola Estadual Pedro Teixeira, de Maceió, levou para Mostra trabalho sobre o processo de compostagem a partir dos resíduos orgânicos das sobras da merenda escolar. A ideia surgiu para evitar o mau cheiro provocado pelo lixo.

"Para evitar o acúmulo de lixo e o mau cheiro, surgiu a ideia de usar a compostagem dos resíduos orgânicos das sobras da merenda escolar e produzir chorume, que é um bio fertilizante rico em sais minerais e nutrientes. A nossa proposta é fazer disso não só um projeto para a escola, mas um hábito para toda comunidade”, garantem os estudantes Laura Beatriz, Roseane Carvalho, Maycon e Taís Rafaela.

Outros projetos que chamaram a atenção do público foram a cola ecológica à base da casca de mandioca e vinagre, da Escola Estadual Joaquim Diegues, de Viçosa; o controle biológico para combater pragas na cana-de-açúcar, da Escola Estadual Josefa Cavalcante Suruagy, de Boca da Mata, com 60% de eficácia, e o carro eólico da Escola Estadual Maria Avelina do Carmo, de Taripu, que utiliza a mecânica associando dois motores, um gerador e um motor de carro, visando a redução de combustíveis e preservação do meio ambiente.

Professores da Ufal e avaliadores convidados, Raphael Oliveira e Juliana Tereza elogiaram a qualidade dos trabalhos. Para eles, a MECTI é uma atividade de grande relevância, por cooperar com o incentivo à pesquisa, à ciência e por oferecer aos jovens mais integração ao ambiente escolar, além de novas carreiras, a partir do desenvolvimento de inúmeras habilidades.

“Os alunos dominam o processo da pesquisa, desenvolvendo inovação e tecnologia já no Ensino Médio e isto é excelente”, observa Juliana. “Os trabalhos têm relevância social e transformam a perspectiva dentro e fora da escola. A comunidade escolar cresce bastante com tudo isto”, avalia Raphael Oliveira.

Selecionados

Cinco projetos foram selecionados como finalistas da MECTI. Pela categoria ensino médio, os finalistas são a Escola Estadual Djalma Barros Siqueira, de Coruripe, com projeto sobre "horta orgânica e qualidade de vida aplicativo: sua saúde"; Escola Estadual Manoel André, de Arapiraca, com trabalho sobre reutilização de recursos hídricos no espaço escolar e a Escola Estadual Ângelo Abreu, de Olho d'Água das Flores, que levou para a Mostra um enxaguante bucal à base de plantas medicinais.

Já na categoria ensino fundamental, os selecionados são a Escola Estadual Guedes Nogueira, de Maceió, com trabalho sobre a hidroponia como estratégia didática nas aulas de Ciência e Geografia e o Centro Estadual Cyro Accioly, que apresentou as estratégias do ensino de matemática para deficientes visuais.

Todos os selecionados participarão da premiação do Encontro Estudantil na sexta-feira (23). Na ocasião, eles saberão quem ficou em primeiro, segundo e terceiro lugares.






Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.