Anterior

Prefeitura realiza ações de combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

18/05/2019

Anterior

Próxima

Mais seis novos voos terão rota São Paulo – Alagoas a partir de agosto

18/05/2019

Próxima
18/05/2019 - 13:00
BPA, IMA e ADEAL localizam matadouros clandestinos em Ouro Branco

Durante a ação, foi constatado maus tratos a animais. Duas pessoas foram autuadas em mais de R$ 50 mil.
Por: PM/AL
 Foto: IMA 

O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) com as guarnições Supervisão e Ambiental II participou de uma operação no Sertão Alagoano, mais precisamente no município de Ouro Branco. Realizada na quinta-feira (16), a ação foi desenvolvida em conjunto com o Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal). Durante a ação, duas pessoas foram autuadas em mais de R$ 50 mil por lançar resíduos líquidos imaturo diretamente no solo exposto e por descarte irregular de carcaças de animais.

A operação foi desencadeada com base em um levantamento do Serviço de Inteligência do batalhão sobre a existência de matadouros clandestinos em funcionamento na cidade sertaneja. As equipes se dirigiram aos locais denunciados para averiguar as denúncias.

Já no primeiro ponto visitado, o fato foi constatado: foram encontradas entranhas de dois bovinos que tinham sido abatidos no local. Ali quatro porcos presos e outro solto, cachorros e outros animais alimentavam-se de parte das vísceras dos animais abatidos. As carnes já tinham sido destinadas à venda no mercado da cidade.

Foi constatado que local funcionava sem licença ambiental do órgão competente. O proprietário do sítio onde estava havendo o crime ambiental foi procurado, porém não foi localizado. A funcionária do local foi encaminhada à delegacia juntamente com os materiais encontrados.

Em um segundo ponto, a denúncia também foi confirmada. As carnes dos animais abatidos seriam encaminhadas para venda e já estavam acondicionadas em uma carroça. No local, um novilho recém abatido seria destinado ao corte no espaço que funcionava sem licença ambiental.

A fiscalização verificou que os animais eram abatidos com golpes de marreta na cabeça, em desacordo com os métodos humanitários de insensibilização dos animais. O proprietário do local foi encaminhado à Delegacia de Santana do Ipanema, juntamente com o material apreendido.

Os proprietários de ambos os lugares foram autuados pela autoridade policial por maus tratos. Já os materiais apreendidos foram destinados à inutilização por uma empresa em Rio Largo. Os órgãos IMA e Adeal lavraram as multas devidas.






Link:




Deixe seu comentário



Newsletter
Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.